Este site utiliza cookies que só se mantém até o utilizador sair do site; ao navegar aqui está a aceitar a utilização de cookies nessas condições.

Desfile militar

Desfile militar pela Rua Direita, talvez deslocação do contingente do RI 4 com destino aos Açores, 1941 - foto de: Autor desconhecido - Colecção de Maria de Fátima Santos

«Para os arquipélagos Atlânticos e províncias ultramarinas têm partido várias expedições num metódico e sistemático reforço às respectivas guarnições militares dessas parcelas do Império Português. (…) É natural que, quando os altos interesses da defesa nacional e o Governo o julgue necessário, caiba também a Lagos o honroso quinhão de participar com os soldados da sua guarnição militar, na afirmação de soberania e defesa dos nossas províncias ultramarinas da cobiça de estranhos. Soldados de Portugal! Soldados da guarnição de Lagos! “Honrai a Pátria, que a Pátria vos contempla!” »
Excerto de artigo de Jacques Neves publicado no Jornal de Lagos de 13 Setembro de 1941

« (…) Na abalada do contingente não haverá lacobrigense que não acorra a despedir-se das tropas expedicionárias, protestando-lhes toda a sua simpatia numa manifestação colectiva, apoteótica e respeitosa, das janelas dos prédios, nas ruas do percurso, na estação do caminho de ferro, onde quer que se imponha a sua presença. Ninguém deixará de sentir pulsar no peito, nesse dia, mais intenso e ardoroso o amor da Pátria e todos se esforçarão por que Lagos, a cidade de tradições tão gloriosas, marque mais uma atitude digna, de especial relevo no momento histórico que atravessamos, atitude vibrante que ecoará por esse país além, alcançando todos os recantos do continente e todas as fronteiras do império, que os seus filhos marcham agora a defender nesta hora grave para os destinos do Mundo – com a presença dos seus peitos altivos e varonis, ou, com o fogo cerrado e mortífero das suas armas de guerra, dando a vida pela Pátria, se tanto for preciso! Que não seja longa a permanência do contingente nas terras distantes para onde vai partir. Que voltem, em breve, os expedicionários, para o carinho do seus lares, com a satisfação do dever cumprido. Que Deus proteja e guarde a todos e conserve a Paz de Portugal, a terra sagrada de Santa Maria!

Excerto de artigo assinado por J.N., publicado no diário lisboeta “ A Voz” em Outubro de 1941

Preferências de Linguagem

Tags Populares

Imagem aleatória

Ver mais Informação