Este site utiliza cookies que só se mantém até o utilizador sair do site; ao navegar aqui está a aceitar a utilização de cookies nessas condições.

Cine-Teatro Império

Fachada do antigo Cine-Teatro Império, Jan. 2014 - Foto de: Francisco Castelo/CMLagos


O Cine-Teatro Império, projecto do Arquitecto Raul Rodrigues Lima, encomendado pelo industrial das conservas Paolo Cocco – um siciliano instalado em Lagos desde o princípio do século XX -, é um exemplo do “estilo nacional” da arquitectura Modernista criado pelo Estado Novo. Foi inaugurado em 3 de Novembro de 1951, com o filme “Camões” de Leitão de Barros


«O NEO-TRADICIONALISMO NA ARQUITECTURA, OU O “PORTUGUÊS SUAVE”
Nas décadas de 1940 e 1950, a chamada “Arquitectura do Estado Novo”, resultado da gradual assunção ideológica reaccionária do regime político de então em relação às artes visuais (e da sua sobrevivência ao fim da II Guerra Mundial, ao contrário do que sucedeu na restante Europa), imperou um pouco por todo o país.
Deve salientar-se a intervenção do estado na estruturação urbana (já se referiu, no tema das cidades algarvias, a importância dos Planos de Urbanização nesta fase), na edificação de novos equipamentos e dos bairros sociais.
Em trabalhos anteriores, já pudemos salientar a qualidade e o interesse construtivo e urbanístico desta arquitectura – apesar da sua patente linguagem retrógrada em termos de modernidade.
(…)
Numa rápida “viagem” pela região, podemos mencionar várias outras obras dentro do mesmo gosto passadista, quase sempre eficaz e qualificadamente construídas – é preciso compreender que o país podia ainda, para estas obras, recorrer à sabedoria dos artífices e das empresas tradicionais da construção civil.
(…)
Em Lagos, encontramos os seguintes exemplos: - o edifício do Posto de Turismo, na rua central da urbe; - o Edifício Comercial “ECL” (actual “Móveis João Cano”), do lado norte da
cidade; [demolido em 2016] - na sua área mais cosmopolita, o antigo Cinema “Império” (actual Lagoshoping), na rua Cândido dos Reis, pelo arq. Rodrigues Lima;- e o Palácio de Justiça, av. marginal, outra obra tardia, talvez já dos anos 1960»

FERNANDES José Manuel, JANEIRO Ana “Arquitectura no Algarve, dos primórdios à actualidade, uma leitura de síntese.” CCDRA - Edições Afrontamento, 2005

Preferências de Linguagem

Tags Populares

Imagem aleatória

Ver mais Informação